quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Partilhando nossa Literatura. CRUZ E SOUZA: Cárcere das Almas. & Pensamentando

Cárcere das Almas
(Cruz e Souza)

Ah! Toda a alma num cárcere anda presa,
Soluçando nas trevas, entre as grades
Do calabouço olhando imensidades,
Mares, estrelas, tardes, natureza.
Tudo se veste de uma igual grandeza 
Quando a alma entre grilhões as liberdades
Sonha e, sonhando, as imortalidades
Rasga no etéreo o Espaço da Pureza.
Ó almas presas, mudas e fechadas 
Nas prisões colossais e abandonadas,
Da Dor no calabouço, atroz, funéreo!
Nesses silêncios solitários, graves, 
que chaveiro do Céu possui as chaves
para abrir-vos as portas do Mistério?!

.........................................................................................

Diz-nos dos "cárceres-corpos",cujas almas,prendem-se.
Alma é muito mais,que frágil corpo?
Sucumbem junto ao corpo?
Vivem,pós morte?
São eternas?
Voltam em outro corpo?
São partes de um Todo?
Fragmentos do Universo,que se soltam e se juntam novamente?
Vai pensando aí!

Sei apenas ... aliás,nada sei ao certo ... sei que meu corpo está morrendo a cada dia,e que sou consciência,ainda,e alma.
Trilogia: Matéria & Alma & Consciência
Minha bagagem terrena,acabará na minha morte,virará cinzas,é de meu gosto e querer.
Minha alma?
Nada sei não.
Se ela persistir viva, vai andar na contra-mão,procurando saber mais e mais...a chave do mistério,em buscas,avaliações,correndo atrás das verdades.
E, será verdade,que as verdades existem?

Tata Junq











Enviar um comentário