sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Pensamentando ... O Julgar.





Entre céu e terra,há um espaço intermediário,o da lucidez.
As verdades e mentiras orbitam,contundentes.
Pragmáticas pessoas ... quem as vê?
Meus olhos buscam a luz da razão.
Querem razão,mesmo no psicológico-estranho de cada ser.
Tento entender as atitudes das pessoas.
Não dá para ignorar resultantes de atitudes,sem abalos e adequações de sentimentos,incômodos.
Dedico-me a não errar em julgamentos,em tolerâncias entender alguns argumentos ou a falta deles.
Há um reflexo-espelho,imediato,quando as observo.
Qual partícula delas,faz parte de mim?
Quem somos?
Quem é certo,ou quem é errado?
Quem sentencia?
E,meus olhos,pesam,numa tristeza ímpar.
Não consigo obter transparências, e a falta delas me incomodam muito,judiam.
Quem se esconde,quem revela-se?
De minhas verdades,sei.
Se corretas, não sei.
E, mais uma vez constato,que minha transparência é incômodo a terceiros,causa repúdio.
E dói,ser verdadeira,estando vinculada ao plano de mentiras.
Sou prato cheio e não quero ser devorada pelas beiradas,ou num ímpeto,por inteira,por mostrar-me nua,sem constrangimentos.
Minh'alma despida...meu eu transparente,tem preços.
Exorbitantes!
Mas o lógico,diz-me,melhormente,seja você,na sua autenticidade.
Sem pesos.
Quanto a outrem,deixe que cada um seja,quem quer ser,da maneira que quer ser.
E,mesmo triste,por mais um dia,vivi.
Sobrevivo.
E, mais uma vez aprendo,na "cartilha-vivencial" ...
Só não entendo muito bem,a que vim.
E os "valores invertidos",ainda me assombram.
Penso ser correta....e tendo ciência,que julgam-me ... e, já me jogaram à fogueira.
Faz parte.
Faz realmente,parte?
Não tenho respostas.
Sei apenas, que já queimo.

Tata Junq

Enviar um comentário