sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Pensamentando: na constatação de uma linha ... disserto-me.




                                       Equilíbrios.                                                              

Quem os tem?
Quem simula,tê-los?
Quão necessários são?
Aprendo ainda,andar na corda-bamba ... e se com graça,ou destrambelhada,tenho de cumprir o percurso.
Tenho?
Justo eu, que detesto o comum?
Odeio mesmismos?!
Odiar é uma palavra forte ...não gosto dela,e incomoda-me, mesmo usando-a para enfatizar idéia.
Acho que nasci do avesso ...
(rsrsrs...)
Papai dizia: -Enquanto todos pensavam em fazer, ou usar de, Tania, já tinha realizado,feito,ousado.
Mamãe,tinha medo de tornar-me uma revolucionária,fazer parte de grupos de esquerda,na época da Ditadura Militar,brasileira.
Meu professor de Teologia,acho que queria que eu morresse ...
( KKKKKK ...de tanto que o infernizei ...)
E,eu era apenas,uma sonhadora-inconformada ...tentando entender valores e o Mundo ... e questionadora, na certeza,incomodava.
Vivia no chão,dando piruetas .... rebelando-me ...até ser chamada à realidade,
quando a vida cobrou-me realizações e aprendizagens na marra...com o risco de morte,de minha mãe ...
Aí,andei pé ante pé... na sombra.
Demorei a ver a Luz.
Entender as sombras ... e,literalmente pisei em linhas de carretéis ...profissão de meus pais,costureira e alfaiate ...e tentei entender os percalços e muitos inconformismos meus,que ainda teimavam em reinar.
Há uma linha tênue ... a vida,acaba por ser uma linha ...
Eu não sei se consigo permanecer em equilíbrios... há momentos,que quero inovar e dar rasantes ... e, olho o percorrido ...e tenho noção nítida,que venho vezes,num pé só ... mas venho.
A linha nem pode embaraçar ...
Ela não entra em agulhas,mas costura e sustenta,este ser, tagarela,inquieto,que cisma em teimar.
Nasci do avesso,em costuras,num tempo.
Rebelei-me, no direito,que fui obrigada a ser,enquanto obra realizada.
No fio da vida,eu,você,nós,vós,eles,elas ... cada um,desatando seus nós.
Observo a ilustração,a ratinha ... ela carrega a agulha,para equilíbrio,mas não prende a linha,percorre-a.
Sábia ilustração-simbólica.
Penso que encontrei resolução ... passei tempo,costurando com agulhas,a vida,
marcando,desenhando,bordando em cor.
Está na hora,de esticar ou ver o que há de disponível no retrós?
Na sabedoria, tudo que é retesado,esticado,leva a  um rompimento.
Então, devo relaxar a linha ...pé ante pé,pé ante pé ... vou seguindo ...esvaziando um retrós,e formando um novelo.
Novo elo?
Novo, no velho?
Tata Junq
Enviar um comentário