quinta-feira, 10 de julho de 2014

Resgate,sem dramas,carregado,mesmo assim de comoventes lágrimas ...




( Em Penha de França // São Paulo// Brasil -  Não tenho referência da autoria da foto,resgatei-a,no Facebook,repassada por uma amiga.)


Por agora ...
As vozes ecoam,belas.
Bailam minhas lembranças.
Na saudade,as lágrimas teimam.
Ando pela rua,há risos e mãos dadas.
Onde você?
Em qual estrada?
Sei que por mim,passou,tal qual vento forte,depois, sombrio amanhecer.
E,mais nada.
Na bifurcação da vida,perdemo-nos.
Nunca mais pus olhos,no perdido,inutilidade consciente.
A manhã fria,propicia o resgate de seu sorriso,o braço envolvendo ombro,num aconchego e proteção ...
E lá vamos nós,pegarmos o ônibus em direção à sua casa.
Encontrei em uma postagem,uma "feliz" foto,deste espaço,a que me refiro ... e não preciso dizer nada ... ao vê-la,chorei ... assim como escuto a canção de agora.
Nada de dramas,mas o peito chega a doer,na saudade.
Dedico esse momento a você, Antonio Carlos C.
Tata Junq

Enviar um comentário