segunda-feira, 26 de maio de 2014

Observando flores,conchas,mar,pés ... minh'alma fluiu em certezas.

Oferenda do dia.

O mar trouxe,e ele leva.
Se não fora por encantos,
sonhei,
Tive cuidados para não ferir os pés.
( Descalços,como minh'alma.)
Sorri para o encanto,das brumas,das conchas,das flores.
Lancei o olhar,como se lança um anzol,com vara especial.
E temi.
Pós recuo,ele voltaria. 
Atingiria meus pés,os depósitos na areia grossa... e tomaria de volta,sua oferta.
Eu sorri,ao sentir o morno das águas... como num fluxo poderoso,tentou me arrastar ...
As flores boiaram e foram ... as conchas submergiram ... firme fiquei,o solo formou sulcos ... e consequentemente,por momentos,tornar-se-iam,pegadas.
Ao observar meus pés,senti que nada seria pra sempre.
(Um dia,virarei sereia.)
Tata Junq
Enviar um comentário