quinta-feira, 24 de abril de 2014

Pensamentando & Musicando & Poetando






O som ritma sentimentos,
lançados ao vento,
qual cinzas libertas,
da urna funerária,
lindamente adornada.
Sou eu,
sem
lamentos.
Sorriso manso,
alma satisfeita.
Em lampejos 
de ternura,
cercando seus ouvidos,
em sussurros suaves.
Em asas de Anjo,
parto,
voo,
além do desejo,
deixando rastros.

Eterna,
amor-pó,
sem adeus,
sem adeus,
sem adeus!

Tata Junq

Enviar um comentário