sábado, 26 de abril de 2014

O PENSAR ...LETRA DA MÚSICA,de BELCHIOR, DIVINA COMÉDIA HUMANA & IMAGEM ( Google) & POESIA de OLAVO BILAC & E ALGUNS DIZERES MEUS ...

Linda imagem!




Divina Comédia Humana

Belchior


Estava mais angustiado que um goleiro na hora do gol
Quando você entrou em mim como um Sol no quintal
Aí um analista amigo meu disse que desse jeito
Não vou ser feliz direito
Porque o amor é uma coisa mais profunda que um encontro casual
Aí um analista amigo meu disse que desse jeito
Não vou viver satisfeito
Porque o amor é uma coisa mais profunda que um transa sensual
Deixando a profundidade de lado
Eu quero é ficar colado à pele dela noite e dia
Fazendo tudo de novo e dizendo sim à paixão morando na filosofia
Eu quero gozar no seu céu, pode ser no seu inferno
Viver a divina comédia humana onde nada é eterno
Ora direis, ouvir estrelas, certo perdeste o senso
Eu vos direi no entanto:
Enquanto houver espaço, corpo e tempo e algum modo de dizer não
Eu canto
*************************************************************
Olavo Bilac : Ora (direis) ouvir estrelas!
Olavo Bilac
POEMA

XIII

"Ora (direis) ouvir estrelas! Certo
Perdeste o senso!" E eu vos direi, no entanto,
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto ...

E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.

Direis agora: "Tresloucado amigo!
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?"

E eu vos direi: "Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas."

(*) Soneto XIII da obra Via-Láctea

************************************************************************


Conseguir ver parte do Infinito,é impagável.
O mais lindo "céu",salpicado de estrelas, que vi,ao natural,foi na praia de Iporanga,Litoral Norte,brasileiro.
Foi misto de prazer,alegria,admiração e abandono ... 
Foi tocante .

Meu OLHAR,
perdeu-se,
no Infinito.
Achou o seu,
cor-de-mar,
brilhante,
tão próximo.
No seu ombro,
deitei minha cabeça,
estrela-perdida,
de 
puro,
AMOR.

Tata Junq




Enviar um comentário