quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Poeminha do querer.



Queria ser verso doce,
e
deslizar em seu
coração.

Queria ser vento forte,
carregando ao céu,
em explosão,
sentidos.

Queria ser,
agora,
uma linda canção.
Rimantemente,
emoção.

Na imensidão
dos fatos,
orbito por hora.
(Insensatos atos.)

Burlando as horas,
no oceano,
largo,
que nos separa.
(Saudade.)

Tata Junq
Enviar um comentário