segunda-feira, 22 de julho de 2013

Pensamentando: Silenciar ...




Silenciar - um projeto nada fácil!
Quisera eu ter a mudez de um morto.
Quisera eu ter a boca murcha,língua calada.
Quisera poder selar o pensamento,numa dormência serena e necessária.
Mas sou luz-dos-ventos calibrados!
Boca que sussurra,que grita, que morde o tempo.
E, olhos em buscas incessantes, nada serenos.
Meu coração é depósito de lixos,agora em murmurinhos-retumbantes - revirados,amontoados.
A solidão é lixo,entulho do medo,agravante.
Minha boca saliva a dor, meus olhos vertem lágrimas contínuas.
Como calar?
No silêncio da noite, minh'alma grita, sem ecos - absurdamente abafada,contida.
Angústia! Lixo!
Saudade! Lixo!
Desamor! Lixo!
Frustração! Lixo!
Inconformismos! Lixo!
E meu diafragma impulsiona,soluços.
Eu quero um onde, que nem sei. Um quando que deixei de acreditar.
Um o quê,para sonhar.
Um você,para amar.
Quando esse você,deveria ser eu, juntando pedaços,recompondo a vida.
Um amor que perdi, perdi-me de mim e por mim.
No silêncio da noite,escuto latido de um cão,distante ... é um guardião ... e há respostas dos outros.
Eu falo sozinha,gemo sozinha ...
Que lástima!
Que merda!
Que nada e que tudo!

Tata Junq
Enviar um comentário