terça-feira, 23 de julho de 2013

Musicando a noite,e tão somente.




onder original alinhar texto à esquerda texto alinhado à direita

Don't Explain

Hush now, don't explain
There aint nothin' to gain
Im glad that your back
Dont' explain

Quiet baby, dont explain
There is nothing to gain.
Skip back the lipstick
Don't explain.

You know that i love you
And what love endures
All my thoughts of you
For i'm so completley yours
Don't want to hear folks chatter
Cause i know you cheat
Right n' wrong don't matter
When your with me my sweet..

Hush now don't explain
Daon't you know your my joy and your my pain.
My life is yours love
Don't explain

All my thoughts of you, for i'm so completley yours.
I don't want to hear nobody chatter
Cause i know you cheat,
Right n' wrong don't matter
When your with me my sweet.

Hush now, don't explain
Your my joy, your my pain
My life is yours love
Don't explain.

Não Explique

Silêncio agora, não explique
Não há nada a ganhar
Fico feliz que você está de volta
Não explique

Silêncio, querido, não explique
Não há nada a ganhar
Pule a parte do batom
Não explique

Você sabe que eu te amo
E que o amor resiste
A todos os meus pensamentos de você
Porque eu sou assim completamente sua
Não quero saber o que o outros pensam
Porque eu sei que você engana
Certo ou errado, não importa
Quando você está comigo, meu doce...

Silêncio agora, não explique
Você não sabe que você é a minha alegria e você é a minha dor
Minha vida é sua amor
Não explique

Todos os meus pensamentos são sobre você, porque eu sou sua
Eu não quero ouvir fofoca de ninguém
Porque eu sei que você engana
Certo ou errado, não importa
Quando você está comigo, meu doce

Silêncio agora, não explique
Você é a minha alegria, você é minha dor
Minha vida é sua, amor
Não explique.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Musicando a vida, a noite.E, tão somente.



I know your eyes in the morning sun
I feel you touch my hand in the pouring rain
And the moment which you wander far from me
I wanna feel you in my arms again

And you come to me on a summer breeze
Keep me warm in your love then you softly leave
And it's me you need to show
How deep is your love

How deep is your love, how deep is your love
I really need to learn
'Cause we're living in a world of fools
Breaking us down
When they all should let us be
We belong to you and me

I believe in you
And you know the door to my very soul
You're the light in the deepest darkest night
You're my savior when I fall

And you may not think
That I care for you
When you know down inside that I really do
And it's me you need to show
How deep is your love

How deep is your love, how deep is your love
I really need to learn
'Cause we're living in a world of fools
Breaking us down
When they all should let us be
We belong to you and me

And you come to me on a summer breeze
Keep me warm in your love then you softly leave
And it's me you need to show
How deep is your love

How deep is your love, how deep is your love
I really need to learn
'Cause we're living in a world of fools
Breaking us down
When they all should let us be
We belong to you and me

How deep is your love, how deep is your love
I really need to learn
'Cause we're living in a world of fools
Breaking us down
When they all should let us be
We belong to you and me
Como é profundo o seu amor
Conheço seus olhos ao sol da manhã
Sinto você tocar minha mão na debaixo da chuva
E no instante em que você se afasta de mim
Quero tê-la novamente em meus braços

E você vem até mim numa brisa de verâo
Mantém-me no calor de seu amor depois, sai suavemente
E é pra mim que você precisa que mostrar
Como é profundo o seu amor

Como é profundo o seu amor, como é profundo o seu amor
Eu realmente preciso descobrir
Pois vivemos num mundo de tolos
Que nos destroem
Quando todos deveriam nos deixar em paz
Nós pertencemos um ao outro

Acredito em você
Você conhece a porta da minha alma
Você é a luz na minha mais profunda escuridão
Você é a minha salvadora quando eu caio

E não deve pensar
Que me importo com você
Quando sabe, no fundo, que realmente me importo
E é pra mim que você precisa que mostrar
Como é profundo o seu amor

Como é profundo o seu amor, como é profundo o seu amor
Eu realmente preciso descobrir
Pois vivemos num mundo de tolos
Que nos destroem
Quando todos deveriam nos deixar em paz
Nós pertencemos um ao outro

E você vem até mim numa brisa de verâo
Mantém-me no calor de seu amor depois, sai suavemente
E é pra mim que você precisa que mostrar
Como é profundo o seu amor

Como é profundo o seu amor, como é profundo o seu amor
Eu realmente preciso descobrir
Pois vivemos num mundo de tolos
Que nos destroem
Quando todos deveriam nos deixar em paz
Nós pertencemos um ao outro

Como é profundo o seu amor, como é profundo o seu amor
Eu realmente preciso descobrir
Pois vivemos num mundo de tolos
Que nos destroem
Quando todos deveriam nos deixar em paz
Nós pertencemos um ao outro



Pensamentando: Silenciar ...




Silenciar - um projeto nada fácil!
Quisera eu ter a mudez de um morto.
Quisera eu ter a boca murcha,língua calada.
Quisera poder selar o pensamento,numa dormência serena e necessária.
Mas sou luz-dos-ventos calibrados!
Boca que sussurra,que grita, que morde o tempo.
E, olhos em buscas incessantes, nada serenos.
Meu coração é depósito de lixos,agora em murmurinhos-retumbantes - revirados,amontoados.
A solidão é lixo,entulho do medo,agravante.
Minha boca saliva a dor, meus olhos vertem lágrimas contínuas.
Como calar?
No silêncio da noite, minh'alma grita, sem ecos - absurdamente abafada,contida.
Angústia! Lixo!
Saudade! Lixo!
Desamor! Lixo!
Frustração! Lixo!
Inconformismos! Lixo!
E meu diafragma impulsiona,soluços.
Eu quero um onde, que nem sei. Um quando que deixei de acreditar.
Um o quê,para sonhar.
Um você,para amar.
Quando esse você,deveria ser eu, juntando pedaços,recompondo a vida.
Um amor que perdi, perdi-me de mim e por mim.
No silêncio da noite,escuto latido de um cão,distante ... é um guardião ... e há respostas dos outros.
Eu falo sozinha,gemo sozinha ...
Que lástima!
Que merda!
Que nada e que tudo!

Tata Junq

Poetando: Caiu!

          (Imagem do Google.)


C

A
I
U

A


D

O
R

N

O

CHÃO:


ILUSÃO!


Tata Junq

Poetando & Fotografando:Flor.




Na janela,   
o    
vaso,    
cor.     
Flor-do-amor.     

Tata Junq  

Poetando:Evidências.


Que passa? 
                                              Passa                    
                                              ou                         
                                              não                        
                                              passa?                    
                                              Passa!                    
                                              Passa!                    
                                              Passa!                    

                                           Tata Junq

Poetando: E-P-A-L-H-A-D-O-S.



Sentimentos
E-S-P-A-L-H-A-D-O-S
no
ventilador.
Ventila
a
dor.

Tata Junq

Poetando: Na peneira,palavras.


Na peneira,
palavras:

  A-M-E-I
               N-A-Q-U-E-L-E
                 T-A-M-A-M-H-O
              I-L-Ó-G-I-C-O
        G-O-S-T-O
              A-M-A-R-G-O
                               M-E-N-D-I-C-Â-N-C-I-A
         E-N-T-Ã-O
      N-A-D-A
    T-E-V-E
                  E-N-C-A-N-T-O

Tata Junq


domingo, 21 de julho de 2013

Pensamentando & Musicando & Palavras ao Vento ..".A BESTA EM MIM".




The Beast in Me

A fera em mim
É enjaulado por bares frágeis e frágeis
Inquieto por dia
E de noite, violentos e raivas nas estrelas
Que Deus ajude a besta em mim

A fera em mim
Teve que aprender a viver com a dor
E como abrigo da chuva
E num piscar de olhos
Pode ter que ser contido
Que Deus ajude a besta em mim

Às vezes, ele tenta me enganar
Que `s apenas um ursinho de pelúcia
E até mesmo de alguma forma conseguem desaparecer no ar
E isso é quando eu tomar cuidado
Da besta em mim que todo mundo sabe
Eles `ve-lo visto sair vestida com minhas roupas
Patentemente claro
Se it `s New York ou Ano Novo
Que Deus ajude a besta em mim

A fera em mim


Sempre há dentro de nós, momentos estúpidos,de revoltas ou inconformismos,
geradores das dores emocionais e físicas.
Chamarei de BESTA,o MEDO.
Tata Junq

sábado, 20 de julho de 2013

Poetando em Movimento.





A ARTE
ARTIMANHA
NA
MANHÃ
E
TOCA
TROMBONES
TROMBETAS
ILUSÕES.

E
NOS CLARINS
DA AURORA
ACORDAM
MEUS
OUVIDOS

E
DANÇO
SEM
COMEÇO
OU
FIM

AMANHECEU
MEU
PENSAMENTO
RIMANDO
NOTAS

JÚBILO
MOMENTO
EM
MOVIMENTO

Tata Junq

Poetando: Saga.



A bola rola.   
O pião gira.   
Os olhos,    
reviram  
águas,    
qual    
moinhos.   

E a vida,   

voa,   
mergulha   
e
afoga-se
no   
pranto,    
móvel,   
sem   
moinhos-de-ventos.   

Saga:    

tormentos.   

Tata Junq   

Pensamentando: Atrás da cortina.


Os olhos saltaram do rosto, a alma na janela.
Espiaram a tarde morna, sem muito entusiasmo,ou quase nenhum.
Tudo é quietude.
Busquei algum encanto, mas os olhos deixaram o colorido esvaecer aos poucos ...
Foquei o asfalto da rua,cinzento,feio. 
Houve época que ficou bonito ... nos dias de festas,continha pés alegres, num vai-vem jovial,energético,
vibrante.
Lembra-me o fogo!
( Das juninas, festas.)
Lembra-me Fênix e cinzas.
E eu aqui,sem forças,com a alma na janela,atrás da cortina.

Tata Junq

Pensamentando & Musicando : OCIDUL.



Nos braços soltos,busquei o abraço.
Você, uma "Natureza-morta"!
Tão exposto no quadro-memória.
Pintei-o humano.
Virou vaso-trincado,sem flor,sem colorido,sombra.

E, na música que escuto agora, "nós não nos conhecemos"?

Isso!
Nada com nada!
Nada, com tudo:nada!

Eu pincel,você lúdico.

Ou eu,o lúdico,e você,pincel?
No OCIDUL,às avessas:

*NUNCA FOMOS, ARTE!


Tata Junq


Pensamentando & Fotografando : Teletransporte.




Na qualidade da solidão,busco um vazio.
E sei do escuro-breu.
Tenho olhos de lince,e vejo sombras entre folhas mortas, no chão.
Céu de inverno,tem Lua,não inteira,como eu.
Mas perco-me em pensamentos loucos.
Queria uivos de lobisomem,ventos uivantes, tanto quanto,
copas balançando,num compasso desmedido.
É bem isso minha alma gritante.
Giro meu corpo,sentindo o vento,imponho as mãos,quero mais,
quero estonteantes ventos.
O frio e a negridão não me assustam.
E, magicamente,viro morcega,e voo,voo em busca de luz!
Sou Notívaga-indolor!
Agora!

Tata Junq

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Do Projeto: Palavras ao Vento,"Tão Pássaro"!




                          (Bico-de-lacre)


Canta o vento lá fora.
O Sol é ameno,faz frio.
Eu vi um pequeno pássaro na boca da gata Bibi. Tentei resgatá-lo,
era tão lindinho,de bico-vermelho ...
Nada pude fazer,além de pegar aquele corpinho ainda morno.
Natureza!
Felina-caçadora!
Gela-me a alma,diante da consciência de.
E,na caça-de-mim,há pedaços triturados.
Fazem falta.
Ser um todo harmônico - processo ainda difícil.
Perdi um pouco "as asas".
Vezes,fui Condor,buscando montanhas altas,afiando bico,trocando garras.
Hoje,sou tão passarinho-indefeso.
O vento lá fora é denunciador da vida,com todos os trejeitos,dando ritmo,
o balançar contínuo das folhas,meio que tristes,no inverno.
Mas há vida lá fora!
E há na certeza o quê nos engula,amedronte-nos ...
Quero ser "abocanhada",com dignidades,vertendo amor e tão somente.

Tata Junq

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Projeto Palavras ao Vento: Conheça-te!






Recado dado!
É também o seu?
Somos o que aparentamos?
Aparentamos o que realmente somos?
Somos ... quem?


"Conhece-te a ti mesmo e conhecerás o universo e os deuses...."
( Sócrates.)


Tata Junq

Musicando a Vida e tão somente.

Draw Your Swords

See her come down, through the clouds
I feel like a fool
I aint got nothing left to give
Nothing to lose

So come on Love, draw your swords
Shoot me to the ground
You are mine, I am yours
Lets not fuck around

Cause you are, the only one
Cause you are, the only one

I see them snakes come through the ground
They choke me to the bone
They tie me to their wooden chair
Here are all my songs

So come on Love, draw your swords
Shoot me to the ground
You are mine, I am yours
Lets not fuck around

Cause you are, the only one
Cause you are, the only one

The only

Cause you are, the only one
Cause you are, the only one

The only one
The only one
The only one
The only one

So come on Love, draw your swords
Shoot me to the ground
You are mine, I am yours
Lets not fuck around

The only

(Guilherme Sambüc)
Desenhe suas espadas
Vê-la descer, por entre as nuvens
Eu me sinto como um idiota
Eu não tenho nada para dar
nada a perder

Então venha amor, tire suas espadas
Atire em mim para o chão
Você é meu, eu sou seu
Deixa Não vá se meter

Porque você é, a um só
Porque você é, a um só

vejo cobras vêm através do solo
Eles me sufocar até o osso
Eles me amarrar à sua cadeira de madeira
Aqui estão todas as minhas músicas

Então venha amor, tire suas espadas
Atire em mim para o chão
Você é meu, eu sou seu
Deixa Não vá se meter

Porque você é, a um só
Porque você é, a um só

A. Apena

Porque você é, a um só
Porque você é, a um só

A única
A única
A única
A única

Então venha amor, tire suas espadas
Atire em mim para o chão
Você é meu, eu sou seu
Deixa Não vá se meter

A. Apena

(Guilherme Sambuc)


Letra enviada por Guilherme


Link: http://www.vagalume.com.br/angus-amp-julia-stone/draw-your-swords-traducao.html#ixzz2YjtmPb64

****LINDA MELODIA ...E LETRA,CALA FUNDO ...carregada de sensibilidade ...

Tata Junq




terça-feira, 9 de julho de 2013

Pensamentando & Musicando: A Vida. A canção das lágrimas,sem vertê-las.







Os sons chegaram ... um a um fazendo histórias ...
E este cultuou memórias.
Sem choros ou chororôs ... mas com uma saudade intensa,imensa!
As pessoas desfilaram na mente,com roupagem iluminada.
Uma a uma ... umas já se despediram,outras perdidas no tempo, não sei do destino.
Eu as olho com ternuras e agrados.
Eu as amei,uma a uma ... família,amigos,amigas,namorado ...
Nado no mar-de-meus-pensamentos ...
E não necessito de escafandros, para mergulhar fundo.
Há ar-de-amor!

Tata Junq