sexta-feira, 17 de maio de 2013

Proseando & Poetando:O FIM.





Os ventos são fortes ...
E, poderiam carregar todas as ânsias de meu peito ...
Mas elas borbulham , ferventes.
E penso na morte lenta de meu corpo.
Compadeço-me , pela falta de um credo , de esperanças ...
Vezes , certifico-me da morte da criança de mim , que de tão sorridente , perdeu os dentes.
Vezes , certifico-me da morte da juventude, sonhadora 
fértil , enterrada , sem ser semente.
Vezes , certifico-me da morte dos encantos , sufocados nas gavetas.
Vezes , certifico-me dos embaraços de minha mente.
(Duelando , incessantemente.)
Por fim , não duvido , do fim.
Mas quero-o sem sombras , doentias.
Quero-o , liberto , cumpridor da via - crucis.
Que seja o fim , um finalmente , asas!
Voarei feliz aos ventos.
Que sejam fortes!
Fortes!
Fortes!
Fortes , como meus desejos!

Tata Junq
Enviar um comentário