terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Poetando às avessas: VERTIDA.



Verto-me,
lentamente,
acometida
de prantos.
Sangue
que
esvai-se
lentamente.
Morro
de
 bocadinhos,
deslizados.
Esfinge
do
medo,
vertentes
pelo
ralo!

Tata Junq
Enviar um comentário