segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Pensamentando: Lembranças.


Vi-me diante do fogão-a-lenha e forno ...
 Um cheiro bom de café,e de assado,pão.
(Tão diversificados aromas ...e trazem-me a fome...)
E traz-me a brasa-viva,que me queima,em lembranças.
E vi-me ao chão,caindo da porteira, do burro montado ...
E ainda em pouso,o olhar de Abel.
Lembrar ...
Do passeio na campina, da estrada ...dos banhos frios no riacho, das noites sem ter sequer um lampião.
E dormir no colchão de palha,então?
E o brilho do luar entrando nas frestas,iluminando nossas conversas?
E o fogo ardente do olhar do moço ...
Fartura, Paraná.
Juventude ...
E com anzol de pesca,puxo,puxo, no remanso, um tempo.
Amareladas lembranças ...
Há sombras dos mortos.
E o cerrar dos olhos, curiosos, que me cercaram um dia.
(De toda a família.)
E,olhos desejosos de um beijo.
E, beijo roubado.
(Por Abel.)
O vento sacode meus pensamentos ...que pulam, na retranca,e encerram lembranças.
Perderam-se no tempo, os olhares tristes da despedida ...os acenos que ficaram pra trás,miúdos ...
Assim como, um pôr-do-Sol ao fundo,tão intenso,como a brasa do fogão.
Fisguei um tempo:bom!

Tata Junq
Enviar um comentário