quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Pensamentando:Os vermes que me "perdoem" ...rsrsss...


A cobra engoliu o sapo,que engoliu a aranha,que engoliu o inseto,que eclodiu do ovo.
Veio o homem,tirou sua cabeça com a foice,ao roçar o mato. E, comeu-a com sal,de sua frigideira.
O fogo acabou,virou brasa;e o carvão,até serenar,virou pedra.
E, homem forte,maquinalmente,fez o seu trabalho.
Um dia,pedra,engolirá homem,acima da terra.
E, homem, virará vermes. E larvas suas,serão devoradas ou devoradoras,produtivas.
Egoistamente,quero meu corpo cremado.
( Num acabar,acabado.)

*** Moral da estória:

Nada! Somente vontade,a ser cumprida,e ser lembrada, pela herança de meus atos,certos ou errados e não errantes.Num FUI, sem volta,sem permanências físicas,de fato.

Tata Junq
Enviar um comentário