sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Crônica do sonhar, perdido.( PROJETO: ALMA FEMININA)







A tarde é morna e sonho amor.
O vento não gela, a brisa sopra meus cabelos e eu sonho você, o cavalheiro que invadirá espaços para olhar-me profundo e levar-me e elevar minh'alma.
Olho a estrada, coração que salta no peito ... uma sombra, que não toma forma, aproxima-se. E, gelo.
A sensação é única, a cada passo, num compasso cadenciado...Chega ser dolorido, e choro, plena de amor guardado.
Quem é o cavalheiro-andante que se aproxima? Na essência sei quem é. Esperei-o por toda uma vida, a de agora.
No mix de poeira, vento-morno, sua mão tocou meu rosto, depois veio o abraço no vazio.Não pude tocá-lo na  forma que inventei,sonhei.
Acordo em prantos com tal  e qual realidade, peito apertado, alma em aflição.
Sinto ainda o toque-brisa no meu rosto. Calor de suas mãos!
Fecho os olhos, pra não perder o instante que se instalou, tão plenamente, amor.
Sem olhar, sem canção no ar...escoro-me num canto da parede.
Não ouso pensar.
Não ouso.


( Uma Alma Feminina)


Tata Junq
Enviar um comentário