terça-feira, 20 de setembro de 2011

Pensamentando ... Um" tratado" relevante ... MEMÓRIAS!!!




Em uma ocasião, fui julgada e condenada: "- Você está presa ao passado!"
Como é interessante o julgamento , e ou , pré-julgamentos de outros ...
Havia sido dado uma chance para eu expor minha vida ... e eu a resumi, parcialmente ... e deixei claro , pelo menos, pensei que, havia sido entendida. Porque eram particularidades relevantes na minha vida , e no meu crescimento como ser humano.
Como não ter um passado?
Somente não o tem, quem perdeu memória ...  (seja lá porque motivo, orgânico, psicológico ...)
Diferente é estar preso(a) a um passado.E com grilhões , sem realmente viver uma presentividade ... ou almejar futuro.
Eu concebo o meu passado, é minha história. Não renego cada parte dele , porque cresci paulatinamente ... e, passo a passo fui sendo "construída".
E neste dia, resgatei um tanto de mim, como pessoa  ... que um dia foi criança, jovem, mulher, mulher madura,e uma idosa, hoje.
E pude lembrar da Tata, irreverente, que destoava de um pai ... e benditas horas, essas ... porque tornei-me a questionadora do Mundo e de mim própria ... e alcancei atos e questionei fatos ... e vivi, com td certeza ... com erros e acertos, talvez muito mais erros ... para depois amadurecer a idéia, de todos sermos, muita vez , impotentes diante da vida e de pessoas (...que fizeram parte de nosso convívio ...)
Eu, neste dia, olhei para um azulejo, que abrigava um ícone ... e sorri pra ele ... e apontei meu dedo em sua direção , balançando a cabeça e sorrindo ... porque me lembrei exatamente, de um vasinho de parede, bem antigo ... que eu tinha estado de olhos fixados nele, pra não chorar, engulindo a seco, todo sermão encomendado de meu pai.
E naquele instante, não morri no passadismo, ironizei o meu presente, tão destoante e doído.
Olhei pra aquele azulejo por muito tempo, para não chorar, também.
Eu vivia momentos inseguros e mais uma vez, não era entendida. E, nossa! Tão transparente sou ... meu rosto, meu olhar não negaram minha tristeza, meu desamparo.
Eu estava só! Mais uma vez, estava só!
Falei ao vento, creio.
Fui capaz de ouvir e não julgar ... e fui julgada , sentenciada , posteriormente .(Como se eu não estivesse pronta para um presente e, ou um futuro).
Sorrio agora ... eu sou o presente ... consigo ser presente, no presente, porque cresci com minhas inseguranças, medos, desalinhos ...
E se equivocou, quem me julgou.
Nunca estive tão lúcida, sem vínculos e grilhões!
Sempre fui uma pessoa que prima pela LIBERDADE DE SER, DE QUALQUER SER.
Seria injusto, estar presa ao passado.
Justo é, ter aprendido e sobrevivido a ele ...
Minhas memórias acabam por ser tão notórias, únicas , bonitas, feias , contentes , tristes ... mas motivadoras para eu sempre seguir adiante.
E sempre disse aos jovens que passaram por minha vida , "Não deixem que pensem por vocês! Saibam querer e poder "poder", com responsabilidades para consigo e para com o próximo.
Fundamental, é ser um ser liberto,pensante, mas responsável!"
E desde sempre, mesmo tão irreverente, preguei a bandeira da pacificação, do amor, da bondade, das justiças.
Hoje vejo-me, "senhora-idosa" de meus atos.( Aliás, sempre fui!)
E em tempo, uma senhora com os pés no presente, e bem fincados em racionalismos lógicos, subestimando o emocional-anárquico, ainda ...rsrsss ...
Sei bem o que quero e o que não quero!
Sou fruto do hoje,de uma Planta chamada PASSADO, de onde nasci, cresci, amadureci.
Haverá, na lógica, sempre um presente, que foi passado e que será futuro e, ou ...já provado, em inversão.
Tudo é lógico e racional, a Física explica.
Então, recorri a fatos passados-recentes, pra dizer que sou exatamente, agora , "a-temporal" quando quero e porque quero, afinal, sou poeta-tresloucada, cronista de mim ...rsrssss ...
Esclareci, ou confundi?
EM TEMPO, SOU, OS SEGUNDOS DE SUA MEMÓRIA, ou MINUTOS, ou HORAS, ou DIAS, ou ...vai na sequência!!!!
KKKKKKKK ....
UM DIA, "MEU CARO JULGADOR", SEREI SEU PASSADO!!!!
OU, já sou hoje?
( Agora ironizei ... tenho essa capacitação ... rsrsss ...)
SORRISOS, POR TER UM DIA, CHORADO!!!
Suaziva, sou???!!!

Tata Junq.
Enviar um comentário