segunda-feira, 6 de junho de 2011

Pensamentando :FRUTO , sem cor?



Assim,surgiu um tom bonito.
Colorindo a vida ... abriu os olhos para o Mundo, chorou, respirou.
E, cresceu sem cor, na dor do desamparo.
Favela.
Lixo!
Lixo!
Lixo!
Filho da mulher-à-toa!
Filho da desgraça!
Serpenteou fel, num preto e branco, afogado em solidões.
Cresceu à mercê de alguns trocados, pedidos , implorados ...
Reflexo do desordenado, correu mundo, o do crime.
Virou Rei!
Quem o condena?
Fruto-colorido, proibido?
Fruto do meio!
Fruto do mal?
Fruto!
Quem o condena?
Sem juízos!
Vértice do medo!!!
É do mando, é do mando!
CO-MAN-DO!!!!


Tata Junq
Enviar um comentário