quarta-feira, 1 de junho de 2011

Momentos Reflexivos / A VELHICE É FEIA?



Sem querer, derrubou o vaso de flores ... e, a garotinha tentou juntar os cacos, as flores deformadas, despetaladas.
Mãos trêmulas, constantemente, trêmulas ...são as dela, Ana.
O olhar está vago ...
Sua bisneta pergunta-lhe alguma coisa ... mas ela pouco ouve ...deixou de usar seu aparelho ...nega-se usá-lo ... diz que os sons doem os ouvidos ...
Mas é uma gracinha!!!!
Já curvadinha, branquinha que só, bemmmm enrugadinha, dos olhos cor-das-jaboticabas ... hoje um olhar quase que sempre fugidio ...mas já foram espertos e nada melancólicos.
Calculo sua beleza, e a vejo como menina faceira.
Não canso de observá-la ... e repenso na vida...e penso em vidas ... nas famílias e suas importâncias. Esta senhorinha está segura, envolvida está em atitudes amorosas ...respaldada de respeito, atenções e amor que sobram e comovem. Vejo os olhinhos da bisneta ...e a voz tão rouquinha e amorosa, mesmo que gritante ..pra que ela a escute ... é um gritar de cuidados ...
Bom ter o perfil da velhice -amparada diante de meus olhos, como unquento,
balsâmico, ainda trazendo-me esperanças de conscientizações  de toda e qualquer família em relação a todo e qualquer idoso.
Mas não é essa nossa realidade!
E não falo do país, numa totalidade ...olho pra minha cidade ...vejo projetos que engatinham ainda ...mesmo que haja outra ótica para os idosos, hoje em dia.
Ainda é pouco!
Há ignorâncias, em todos os sentidos ...
Há muito despreparo ...
Dona Aninha é parkinsoniana ...e Rubão tem alzheimer ...
E Joaquim é esclerosado.
E Maria tem sequelas na coluna. E João tem desgastes nos joelhos. E Claudionor tem osteoporose. E  Rita, caiu e quebrou a bacia...
Assim vai ... forma-se um quadro melodramático,mas vilmente doloroso, porque mostra-nos os limites, os desgastes da matéria, que abriga almas ... muitas vezes tão ou mais doloridas.
Almas incompreendidas ...almas saudosas, almas mal amadas, almas tristes e  muitas vezes, nem sequer percebidas ...
Cuidadores que se cuidem!
Familiares que se cuidem!
Cuidar de um idoso requer conhecimentos e doação-pacenciosa e amorosa.
A tônica ainda é amor!
Serve pra aliviar qualquer dor.
Araaaaaaaaaaa se é!!!!
Fico com o olhar fugidio de Dona Aninha ... gravado , esculturado na alma.
Meu olhar ainda viaja em direções ... certeiras.
Ahhh ...como eu queria "enxergar" só dignidades!!!!!

Tata Junq
Enviar um comentário