segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Poetando, sempre! COERÊNCIAS.



VIDA!
Bandida!
Bandida,
bandida,
que
centrou
você,
assim:
sem eira,
nem beira ...
pó,
poeira,
que
sopra,
entorpece,
nebulosa,
cega.

VIDA!
Semente,
somente,
será:
quando
você
existir,
realmente.

VIDA!
Cativa,
sem
tormento,
quando
deixar
de
centrar:
palavras
ao
vento!

VIDA,
seremos
na
soma,
na
verdade:
NÓS!

Um dia,
quem sabe,
deixarei
de
ser
somente: EU!
E
a
VIDA,
será,
então,
coerente.

Tata Junq
Enviar um comentário