domingo, 3 de outubro de 2010

Poetando às avessas! NADA!



Redundantemente,
vazio.

VAZIO.
VAZIO.
VAZIO.

NADA!
NADA!
NADA!

ZERO.
zero,
z
e
r
o
o
o
o
o ...

Tata Junq
Enviar um comentário