quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Poetando às avessas! Amo-te!

Caminho no céu!
Vôo no chão!
Estremeço,
aconteço!

Afã de delírios,
navego
sem águas.
Nado
nas
sombras.
Aconteço!

E
nos
sonhos-delirantes,
reconheço-
-te.

É um
em mim,
tu!

Somos,
nós,
no encanto,
entoado
no
agora.

Reconhecidos,
patenteados,
na canção,
que
toca,
soturnamente.
(enquanto
te velo,
distante.)

E ...
Somos!

Amamo-nos!
Amamo-nos ...
no meu:
amo-te!

Tata Junq
Enviar um comentário