sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Poetando às avessas!





Acordo.

Parabrisas
no pensamento.
Mais o suja
que
limpa!
Cordas.
Amarres.
Acordo.
Acorda!
Sem nexos,
reflexos!
Sem nada
pra
nada
fazer.
Acordo,
no acordo,

sem corda.
Sem amarre,
sem promessa.
Palavras
voaram,
perderam-se
em
linhas
de
pipas...
E foram,
e foram,
 foram ...
cortantes,
de cola
e vidro,
moído.
Cortaram
sonhos!
Sem acordo,
acordo.

Tata Junq
Enviar um comentário