segunda-feira, 10 de maio de 2010

Conjecturas ...mais uma crônica, diária, que volta à pauta: A Alma da Noite.

A ALMA DA NOITE.

A chuva vai e vem ... parece frio.
Frio na alma?
Gélidas lembranças incomodam-me ... envolvem-me, desagradáveis.
Há uma carta inacabada ... penso em destruí-la ... não irá para o correio mesmo.
Perdido está o endereço!
E eu insisto nas lembranças ... mesmo assim.
Não posso dimensionar valores, mudanças surpreendentes ...
O quê exatamente aconteceu e o porquê , acredito  não obter respostas ...
Ainda não está claro ...
Pergunto-me sempre se há um destino a envolver-nos ... estava escrito?
Ahhhh ... renúncias!
Ouço Celine Dion ... e ouso escrever nas linhas do pensamento. Possível? Ou o pensamento faz-se linhas?
Escrevo-te e descrevo-te,suavemente ...

E o galo está mudo! Acho ... por chover ...
E o céu esconde as estrelas ... nem ouso abrir a janela.
Imagino-te dormindo ... e desta vez, detenho-me ... não viajo e nem te busco como outrora, em minhas visitações noturnas ...  não chego à tua cabeçeira, não estendo minha mão, energizando-te ... o receio da rejeição traz-me medos.
E queria deixar registrado o meu bom dia.
Bom dia, mesmo assim!
Os Anjos te velem!
Haja menos dor, seja ela de que natureza!
E as linhas te buscam ... preenchidas com carinho ... queria mesmo que meu sorriso chegasse a ti! Soassem risos! (Como outrora.)
Sorrio, mesmo assim!
Vale sorrir entre lágrimas?
A saudade invade, inunda como a chuva que cai agora, gélida, incômoda!
Ouso despedir-me: bom dia! (Porque amanhece.)
E, um novo dia, acontece teimoso.
E eu canto, All by Myself.
Incoerentemente, canto que não ficarei mais sozinha .
Bom dia, Vida!
Bom dia, Sonhos!
Bom diaaaaaa!!!!!
Tata Junq
Enviar um comentário