domingo, 14 de março de 2010

A FORMA E A ESSÊNCIA: POESIA, A CRIATURA.

Que mania que se tem...dia disso, dia daquilo e daquilo outro ...
Bom isso?
Dá-se importância necessária ao marco?
Quem sabe? O que se sabe?
Eu continuo acreditando nos valores dos momentos , independentemente, de calendários.
Dia da poesia!?
Todo e qualquer segundinho, na ponta do lápis,  no teclado, na  canetada, na garganta, na alma, na mente ..proliferando sonhos, angústias, desamores, amores, vida, lágrimas, sorrisos ...
Amor dolorido ou dividido, sonhado e querido ...
Presentividade, passadismo ou futurismo, inverdade ou verdade ...verossimilhanças?Sementes da mente  ...
Assim caminha o poeta, esticando, pincelando, arqueando suas fórmulas pensantes.
É pluralidade ! É unidade! Universalidade!
Amo o coração-poeta! Amo a mente-poeta!
Amo a sensibilidade poética!
E se posso honrar homenagem, tiro "meu chapéu" para Cecília Meireles e Carlos Drummond de Andrade. Gênios! Brasileiros, sim senhor!
Seus poetares, são essência, de liberdade e visão sensibilizada a sensibilizar, sempre.
POESIA!
SER, sendo: CRIATURA!
É assim que me sinto, quando ao criar, gerando uma criatura,  modestamente traçando, minhas linhas.
Poetando, poetar!
Obra, que se faz!
Criatura que nasce , cresce e como nômade, não se estabelece.

Tata Junq
Enviar um comentário