quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Proseando na poesia: desestruturando.




No curso,
roteiro-planejado.
Na promessa
depressa,
achei-me.
Sem eira,
nem beira,
fui
ao
teu encontro.
Na chuva,
vi:
flores no jardim,
olhos,
no abandono
dos meus.
Sorriso trocado,
abraço apertado,
e o
sentir
do
beijo
molhado.
Pensamento
também viaja
na contramão
e
faz
pés
fincarem-se
no
chão.
E
faz
tua mão
tocar a minha,
e coração
pulsar mais rápido,
e o sussurrar feliz ao
teu
ouvido:
somos,
reais!
Sonhei,
sonhar
dobrado.
Planejamento,
delicado,
realizado!
E as flores?
Sorridentes,
simplesmente,
compõem
o
plano
de
fundo.


Tata Junq
Enviar um comentário