quinta-feira, 28 de maio de 2009

Poetando.


No vento
quero ir,
quero estar
e pousar
na sua boca ...
adentrar
na sua garganta,
para um
único
e conjunto
ressonar:
te amo!
te amo!
te amo!
E depois
continuar viagem ...
Prá onde?
Não sei!
Nada sei!
Só,
somente só,
agora,
por hora,
Minh'alma cala.

Tata Junq
Enviar um comentário