quinta-feira, 30 de julho de 2009

Momentos/ O galo canta.




O galo canta ao amanhecer,
é madrugada.
E eu , no apêlo
do nada.
Caminhada da dor,
do desamor:sua indiferença,
marca meus dias,
sequenciais,
teimosos.
té quando,o galo estará, em minhas madrugadas?
Só sei,
que depois,
qualquer apêlo,
será: um nada.
Eu, terei partido,
sem ser amada.


Tata Junq

Momentos: Resisto.




Resisto:
à dor,
à falta de amor,
às indiferenças,
ao desamor,
às mágoas,
às lágrimas,
aos lamentos,
às intempéries da vida.
Resisto, porque me fiz forte.
Mas não sei se resisto,sem a sua presença.
Sei apenas,
que permaneço,
entre a tristeza e a convicção
de meu amor.


Tata Junq

segunda-feira, 27 de julho de 2009

Shopping "em você"!




Te busco, revisto
seus pés.
Andamos, visto seu corpo,
com peles macias,
quentes.
Sueter na alma,
pés prontos nos sonhos.
Comamos
maça-do-amor,
nada proibida,
com chocolate.
Irresistível consumismo!
Andança perfeita.
Loja dos sonhos!
Que seja:
perfect quick meal!
Fest food!
Engulêmo-la, já.
_ a hora é essa,
certa.

Tata Junq

sábado, 25 de julho de 2009

Quero uma canção mágica de CIRCE.



Hoje canto de forma harmoniosa e perfeita, sou KIPKN.



Vôo , viajo livremente entre os Reinos do Céu e da Terra.



Meu coração canta glórias, porque sou possuidora dos segredos mais ocultos



.Hoje me permito, buscar sua alma. E a carrego e a espalho ao vento.



Porque alma linda, merece ser semeada.



Hoje o Céu se eleva! Os Anjos entoam cânticos de regojizos e amor.



E a Terra?



É somente fonte de semente.



Eu te busco!



Eu te alcanço!



E, te carrego em minhas asas...e, grito: "circ-circ"!!!!



Sou forte pra voar contigo!



CIRC-CIRC!



CIRC-CIRC!



CIRC-CIRC!



E vou ... flutuante, incorpóreo, repleto de amor!






Tata Junq

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Momentos reflexivos.





Ahhhhhhh...cores, amores,verdades,saudades ...em qualquer idade.Bom viver!Viver dores, amores, alegrias, fantasias, dissabores ...viver.
Viver cada oportunidade, doce ou fel.
Sentir, sentir e sentir ...dividir, dividir, dividir ..nunca carreira solo.
Amar, viver, tem sempre e terá recompensas.É como se tivéssemos à disposição de alimento em nossa dispensa.
Bom ter podido chorar.
Bom ter podido sorrir.
Bom ter podido silenciar.
Bom ter podido partir.
Bom ter podido sonhar.
Bom ter podido ficar.
Bom ter podido amar.
Viver implica em saídas e chegadas. Em marchas e retrocessos ...em pegadas...deixadas, sutis ou cavadas, qual sulcos na terra , molhada.
Viver é eterna caminhada!
Viver é alma marcada!


Tata Junq 22/07/09

Momentos reflexivos.


A Sampa que amo está molhada! E como sempre, as pessoas se apressam em suas caminhadas.Os carros fluem , as motos fluem ...e farol fecha, e farol abre ...sequencial quase frenético ...pneus passam em poças ...fazendo som acumulativo...somados a ruídos de motores , buzinas ... Escureceu mais cedo, está frio ...meu coração está morno, nem cheio, nem vazio, nem frio.Qual a vantagem?Amar Sampa é vantagem, é nostalgia que invade.Coração morno, é desvantagem.Não quero calor aqui neste espaço, hoje chuvoso. A chuva é bonita, necessária ...lava o chão, penetra nos cantos de terra, alimenta.As árvores do bairro, agradecem...as plantinhas dos jardins também. Meu olhar também é agradecido, meio perdido em conjecturas e atento a cada detalhe.Uma senhorinha adentra ao meu recinto de trabalho ..pede guarida.Gentilmente pedimos a ela para sentar-se e esperar pelo menos a chuva amainar ... e ela me fala de sua vida.Eu a escuto atentamente.É resolvida,determinada ...só foge da chuva e de alguns medos ...vejo nos seus olhos a necessidade de conversas pra banir a solidão.Envelhecer... estar só, viúva.Valentemente permanece. Valentemente disponibiliza-se da vida.Quando ela sai, acompanho-a até a porta, ofereço minha mão pra que ela desça o degrau em segurança...recomendo-lhe cuidados para a travessia na avenida.Não é a primeira vez que ela vem aqui conversar ...Quando a vejo, meus olhos se encantam ...é branquinha, de cabelos bem branquinhos, marcas do tempo, no rosto, nas mãos e no coração.Chove lá fora...choveu ternura em meu coração.Amo Sampa, amo chuva, amo pessoas ...Sampa é fria. Meu coração de morno, aqueceu-se.Meu olhar, ainda, é de procura.


Tata Junq
23/07/09 18h.

domingo, 19 de julho de 2009

Momentos.




Queria ser:
Mar bravio,
rebente.
Uma boca,
sem dentes
e sem sorriso.
Uma mão,
nada generosa,
suada e
prostrada.
Um leão,
sem juba
e sem fome.
Uma pimenta,
ardendo em fogo,
renegada.
Mas só sou,
doce alma
penada!


Tata Junq

Momentos.


Dê-me sua mão,
me acalma.
Dê-me seu amor,
e eu darei minh'alma.
Sente-se bem perto,
acenda os sonhos meus.
Abraça-me na certeza,
de um querer eterno.
Mostre-me seu olhar intenso,
belo ...
e eu me perderei,
cofesso de mim,
num amor sem fim.
Fique, eternize!
Esse momento é pleno,
doce,
é melodia que inebria.
Contentar-me-ei,
no entanto,
se ficar,
ao menos,
um mísero
instante.


Tata Junq

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Momento:SOU!



Sem você,
sou deserto,
sedenta...
Sou pássaro,
sem ninho...
Sou mártir,
sem luta...
Sou fruto,
sem semente...
Sou
vazio,
vazio,
como sarcófago,
sem esfinge,
já desvendada:
nada!


Tata Junq

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Poetando / Momentos




Sambam
palavras
do nada.


Soltas,
ritmadas.


É frevo?
É baião?
Que nada!


É doce balada
na madrugada.


S-A-L-T-I-T-A-N-D-O
A-M-O-R


Num jogo de pernas,
de braços,
de compassos,
de atos!
Dançam e dançam e dançam!
E não é preciso dizer
mais
N-A-D-A


Tata Junq

Minutinho de reflexão ... No mar de meu pensamento.




Caio em mim,
escorrego,
deslizo
na dor,
sem retorno,
de
amor.


Tata Junq

quinta-feira, 9 de julho de 2009

No mar de meus pensamentos./ Momentos


As horas correm... correm?Parecem cadenciadas, ritmadas ... e eu espero.
O quê neste novo amanhã? Velho-novo amanhã! Sequencial, ingrato...menos, novato.
Eu acordarei novamente, espero! Sem esperanças-loucas! Mas inevitavelmente, com sede de amor.
Respiro agora, pouco ...mas quero muito.
Quero querer te querer, querendo sempre.
Quero meu ar de volta!
Acelero prum amanhã vazio, inóspito.
Amanhã? Amanhãs?
Sonho e espero...
Sonho e espero ...
Sonho e espero ...
Sequencial ruim, que parece não ter fim.
Amanhece, acorda o Dia!
Anoitece,em minh'alma!
Sem Lua, sem Estrelas, sem Via-Láctea ... sem você.
Buraco Negro!
Fui engolida por mim.




Tata Junq ( na madrugada ...)

terça-feira, 7 de julho de 2009

Momentos.


Queria
parar o tempo,
agora,
já.
Abraçá-lo de
forma desconcertante,
beijá-lo
de forma inebriante,
de sôfrego,
supetão,
pra que enxergasse
meu coração.
Falta-me coragem.
Então,
sonho
com doces beijos,
com esse amor,
lindo que almejo.
E espero
um dia você chegar,
ou eu,
corajosamente,
te buscar.
Ahh... doce amar...


Tata Junq

Meu registro:FOTOGRAFAR & PENSAMENTAR.


Ver o mar é sentir o Mundo na palma das mãos...
A brisa fria consegue aquecer..
O olhar perde-se no horizonte. Não se sabe o limite entre oceano e céu.
Busco alento às minhas ânsias loucas. Este amor corrói até os ossos.
Existe a sede do beijo que nunca foi nosso. E a alma viaja quilômetros em busca de você...
Queria alegrias neste sentir.E para tanto, seria preciso tão pouco. Bastaria uma palavra sua, um sinal.
E o Mundo resplanderia em cores vivas e encantos me envolveriam, na plenitude da paz.
E, finalmente, eu sorriria de verdade, plena.
Ânsias, -ais, mar, gaivota, busca da paz!


Tata Junq

segunda-feira, 6 de julho de 2009

No mar do meu pensamento. Projeto:Relatos.



O chôro da criança, o colo da mãe, os berros do pai!
"Fotografo" o limite, uma família,a praia.
Os olhos do pensador repassa toda a orla.
Um domingo de passeata, a cãominhada, como a intitularam.Um passeio liberal: homens, mulheres, crianças ... casais, passam e administram seus tempos ociosos e serenos.
Estou sentada num banco e agora o divido com um casal e sua bela filhinha.Comem grãos de milho num pratinho de isopor, já debulhados. Modernidade e comodidades.O Mundo prospera e as mudanças de vida são significativas. A adequação se estabelece, necessária.
Há um fluxo constante de pessoas.É porém, um vai-e-vem lento,calmo.
As pessoas desaceleram. Um ou outro atleta estabelece rítmo cadenciado, forte e necessário à queima de calorias. Justo tais cuidados.
Eu, já andei e sentei. Observar é necessário. Faz parte do meu processo.Universo, incrível, o das palavras...Não importa se precisas ou inexatas.Fluem e tecem qual aranha,o emaranhado,que o olhar, furtivamente rouba: nuances! E o vai-e-vem continua ...vezes com pouca ou muita intensidade.
A garotinha está ao meu lado, curiosa. Sequer imagina o que faço. E nem sabe, que exatamente agora,é fonte de inspiração.É bela e carrega seu cãozinho, senta-se no encosto do banco e canta. Bom ser criança ... baixinho canta uma musiquinha, certamente inventada..."mar azul...mar azul..." Finalmente tivemos uma prosa. July, a linda cadelinha, quis ficar junto a mim, como fôsse velha conhecida ...conversa vai, conversa vem...e comunicação estabelecida.O ser humano é essencialmente social, graças a Deus!...
Avós, netos ... um senhor com sequela física, contrasta com o jovem que passa correndo...
Nossa, o corpo humano é lindo!Visão dos deuses gregos! Garotão sarado, corpo estruturado, lindamente cuidado. E, aí olho os senhores que envelheceram ... e o tempo é impoluto e os castiga. Cruel a vida? Como adequar-se à velhice? Como conceber todas as perdas, administrar limitações, no tempo e no espaço? Conformismos? Inconformismos?Com todos os questionamentos, a vida continua com força, e cada um adequa-se como pode ou queira.
A liberdade do ir e vir é linda! Dimenciona a importância do livre arbítrio, da liberdade que não pode ser ceifada nunca...em canto algum deste Planeta.
O Mundo tem de ser liberto!
O homem tem de ser liberto!
As crianças têm de ter razões para existirem e sonharem.
Há "malucos" na água, que certamente está gelada. Malucos-libertos! Desfrutam da energia do mar.
Eu desfruto o vento, já gelado,e pra preservar minha saúde, vou indo ... retiro-me de cena.
Último olhar ... lancha cortando o mar, navio ancorado, um barco à vela ...
Levanto minha âncora, agora.
Momentos bons desfrutados.
Momentos bons não planejados.
Soltos!
Cabem no mar de meus pensamentos.


Tata Junq
Tata Junq

sábado, 4 de julho de 2009

Momentos.




Riminha doce.


A florzinha surgiu
rebente,
sem dente,
da semente.
Lindamente,
lindamente,
lin-da-men-te ...
na minha
mente.


Tata Junq

MOMENTOS REFLEXIVOS / POETANDO.




Não sou barco.
Não sou onda.
Não sou mar.
Sou náufrago
de
m
i
m
...


Tata Junq

Momentos.




Gostaria de ser luar,
refletir no seu olhar,
em lágrimas.
E nos refluxos,fluxos,
das marés lunáticas,
enxugá-las,
uma a uma.
Depois,
buscar sua alma,
colocando-a
em cratera calma.
É assim amor lunático:
teimoso,
enfático.
Hoje sou luar,
e
te convido a amar,
um doce amar,
um puro amar...
sem dor,
sem medo.
Ainda sou,
luar-metade.


Tata Junq

Momentos.




Retalhos de memória.


Calor morno,
céu lindamente estrelado.
Recorte do tempo
belo,
doce,
ímpar.
Ficou por lá,
um sonho.
Tata Junq

domingo, 21 de junho de 2009

No alvo: a mente do pensador.


Meu coração é um barquinho à deriva e ninguém vê ... sumiu no mar ... dos meus pensamentos vãos. Pensa que sucumbiu? Na verdade, pensamentos ,que belamente se compõem entre corais e conchas ... Entre peixes coloridos, palhaços . Entre algas dançantes ... e ,encontra um navio pirata. Ahhhh ... tesouros perdidos ... belos, reluzentes! São sonhos ardentes ... que continuam escondidos...
Que pena, você não os vê...
Também não os trago à tona ..
Meus pensamentos, carregam um coração em concha ... agora perdido neste mar conturbado ... e que pulsa por você, meio a corais coloridos,quietinho...sem coragem.
Queria poder rodear-te de meus sonhos, de meu amor contido e guardado.
No mar de meus pensamentos cabe você e meu coração carente ...que somados não formam dois, no entanto.
Ahhhh como queria ser o amor de tua vida ... E ter neste mar...somente construção de palavras de amor a te ofertar ... plenas, sem dor.
Meu barco continua à deriva na solidão.
Sem Sol, Estrelas ou Lua. Na ampla escuridão das incertezas,
navego.
Ah, coração sem juízo!


Tata Junq

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Momentos.


LIBERTO
LIBERTAR:
SER!


Tata Junq

Momentos.

Há caminhos que desconheço.
Há medos... há anseios.
Há rumos frágeis
e
inquietos.
E eu,
somo
dúvidas
e
desamores.
Meu coração
bate
bradicardiamente,
lento, lento, len-to-o-o,
como meus pensamentos.
E eu,
vítima de mim,
desabo
em
prantos.


Tata Junq

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Momentos



Quero quebrar regras!
Quer quebrar a cara!
Quero amornar a sede de amor!
Quero embelezar a mente!
Quero retalhar a colcha de retalhos!
Quero, que quero
querer!
Romper!
Abranger!
Quero enriquecer meus sonhos!
Quebro que quebro quebrando quebrantes: entoados cantos!
Agora!
Sou eu integrante,
integrada,
intrigante!
Há!

Tata Junq

Momentos


O TEMPO
corre
indelével.
abrindo
dores,
abrindo
dores...
Abrando
dores,
Abrando
dores...
Somando
amores!


Tata Junq

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Momentos

Uma tristeza invade minh'alma.
As canções comovem-me e transpiro dor.
Não alcanço luz nehuma agora.
Tateio o mundo sem lanternas. E no breve espaço da dor, que hora reina, busco saídas sem as ter.
Tenho saudade de outras vidas e queria ,voltar, uma chance de retornar e rever onde errei em minhas lições.
O cansaço abate-me, a tristeza de um sei mais o quê, por vir, maltrata. E, sei que virá.
Estou cansada! Estou cansada!
O que falta ainda pra poder correr nesta estrada, que me levará ao não sei onde?
Quero rumo da volta.
Luz para meu retôrno, sim?!
Quero correr nesta estrada, quero buscar o outro lado de novo. E sei que nestas paragens, aprenderei novamente, a deixar de ser nada.
Quero luz nesta minha escuridão, em minha estrada.
Quero estar, quero voltar, mais nada!
Tata Junq

Momentos



Ranços!
Ranços!
Ranços!
Avanços!
Avanços!
Avanços!
Irrelevantes,
focos
de
dor,
que acabo de
decompôr.
Avanço!
Avanço!
Avanço!
Sem medo!
Corajosamente,
sem abalos
de
amor.

Tata Junq

Momentos



Habito.
Orbito
no
mundo,
do
devaneio.
Circundo
o
começo,
o fim,
o meio.
Permaneço,
envelheço,
anoiteço!

Tata Junq

Momentos



Onde moram
sonhos e quimeras?
Não moram,
voam,
entoam
gestos melódicos
dóceis,
mansos,
irreconhecidos,
de
amor.




Tata Junq

Momentos



Entre
Céu
e
Trevas
Planto
ignorâncias,
dissabores, amores, vãos!
Nada de
colheita.
Mesmo assim
o céu é
intensamente
azul.
E a treva,
continua
breu às minhas
ignorâncias.
Nada sei!
Nada pude!
Nada sou,
diante
da
Luz.

Tata Junq

Momentos.




Sim
à
vida,
que se
estabelece
na espera,
do meu
Retorno.
Quero
voltar,
sem temer,
o abandono.
Cansei de
cansar.


Tata Junq

Segmento: Pensamentar.


O Mundo gira,
o das idéias.


Quero pão -de-ló!


Quero pão francês!


Quero brioches!


Quero França!


Quero poetas franceses!


Idéias francesas!


Idéias do Iluminismo!


Borrões de tintas,


na tela


da


mente.


Palavrinhas-de- tintas,


multicoloridas,


perdidas.


Lindamente


despojadas.


Lindamente,


à gauche et


à droite!


Penso.
Fossick
et
de l'invention,
tento.


Tata Junq

Poetando.





Frio.
Hipotemia.
Gelo
na
alma.
Frio.
Frio.
Frio.
Vida
presa,
por
um
f
i
o
.


Tata Junq

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Poetando: Meu registro fotográfico & Pensamentar.




Espelho-espelha:
rugas internas
e externas,
amor-sem-jeito,
esperança intocável,
idéias sem nexo,
querer inoperante e,
alma-viajante,
somente:semente!
Somente,
somente,
tão somente,
semente infecunda,
em terra infértil,
antiprodutiva.


Tata Junq

Amor a ... Momento Reflexivo


AMOR


Chove lá fora. O tempo mudou repentinamente.
E a vida continua ... as pessoas caminham apressadas e sem jeito, do jeito que dá, outras se escondem e buscam abrigo.
Um dia fragmentado pelo desaviso.
A enxurrada é forte, potente.Água, asfalto, cidade, bairro ... SAMPA!!!!
Cidade que amo!
Selva-de-pedra, que todos abriga.S
elva-de-pedra que nos obriga a amá-la
.Berço do progresso!Anti-ecológica! Analógica! Versátil! Anárquica!
Fera e Bela!!!!
Quero ainda sangrar com suas garras.
Quero acordar com sua beleza-concreto!!!
Quero porque quero, estar e fazer parte de sua grande janela: que reporta ao Mundo, progressista, generosa e bela, mil vezes Bela!!!!


Tata Junq

Poetando às avessas.



Nada vezes nada:
Nada.
Nada vezes tudo:
Nada.
Morte vezes vida:
Morte.
Vida vezes vida:
Vidas.
Nada.
Tudo.
Morte.
Vida.
Tudo.
Vida.
Morte,
nada.
Nada?


Tata Junq

Escreveria ...



Ontem escreveria ...


Encruzilhada.
Vidas cruzadas...
(ponto) de ligamento.
Nada.
Paralelas,
vidas.
Até o finito.
Eu,
você
depois do .
(ponto)


Tata Junq

Nair. Momento.

DIA 25/05 ... Nair, a "bobimã"!


Quando a saudade invade,
faz doer.
Quando a saudade invade,
faz chorar.
Quando a saudade invade,
chove,
troveja,
relampeja,
sacode a vida.
Quando a saudade chega,
paro no tempo,
sendo tempo de espera.
Quando a saudade chega,
pulsando,
latente,
choro
e lembro dos teus gestos
de amor,
de carinho,
de amizade,
de cumplicidade,
de tudo
que nos uniu.
Tenho saudade de todo
e qualquer dia
que me remeta a você.
Tenho saudades dos dias
que não te tenho,
querendo te ter.
Hoje,
mesmo sem você,
parabéns, mãe!
Parabéns!
Saudades!
Amor!
Lealdade!


Tata

Niver da mamãe.



Para mamãe: DIA DE SEU ANIVERSÁRIO // 25/05

Dia de aniversário na Terra.
E no "céu"?
Inicia-se a contagem?
Continua o avanço dos anos?
Que critério será ou estará enquadrada, você?
Você que foi e que é minha mãe.
Onde mora?
Onde dorme?
Dorme?
Onde vive?
O que faz?
Espreita-me?
Intui-me?
Analisa-me?
Pede por mim?
Espera por mim?
Ama-me mais ou menos?
Ou, mais-ou-menos?
Rsrssss ...
Amame-me de certo,
como te amo.
Parabéns por seu dia terreno.
Parabéns pelo seu dia no "céu",
outras bandas.
Parabéns pelo que sempre foi!
Parabéns pela luz que consiga.
Parabéns!
Parabéns!
Parabéns!
Parabéns,
mãe querida,
que pulsa latente na minha vida.
Parabéns, mãe querida,
nesta data de saudade,
de dor,
mas de amor vivo.
Beijos em suas bochechas de furinhos.
Muitos beijos!
Muuuuitaaaa saudadeeeee!!!!
Muuuuuuuitoooooo amor!!!
Sua Tata, eternamente,

sua Tata.

Poetando: Momentos Reflexivos.

Havia um pássaro.
Havia canto.
Havia luz e encanto.
Há gaiola vazia,sem canto.
Não há encanto, no entanto.
Mas há a luz da liberdade alcançada.
Lá está você, alma danada de boa.
Não sei onde,nem porquê.
Sei apenas que ocupei o seu espaço na gaiola,
hora fechada.
Canto, no entanto de dor,
de saudade.
Sou pássaro ferido,
acuado,
espreitando o destino traçado.
Quando a minha liberdade?
Não sei.
Pousarei em outros Planos?
Não sei.
Estarei no seu ninho?
Não sei...
Não sei ...
Não sei.


Tata Junq /25/05/2005

Dedim de prosa.


AMIGOS(AS)! UM "DEDIM DE PROSA"!!!


"Um ato de bondade, mesmo que seja pequeno, nunca é em vão!!" Ontem presenciei uma cena única : mãe e filha seguindo um curso, na calçada de meu bairro...a garotinha bem arrumadinha, falante, dizia: -Tem gente que não tem casa, né mãe?E eu respirei fundo,e cumpri o meu trajeto pensativa. Aquela voz calou meu coração, minha razão.Por momentos,senti-me pequena, egoísta.Temos todos muitooo ... só não sabemos dar o devido valor a cada conquista, mesmo que pequena. E, senti uma enorme vontade de ter em abundância bondade e amor, sair de mim, buscar o outro ... às vezes tão carente...seja lá do que fôr...onde fôr ...
Hoje quero partilhar bondade, começando por me perdoar!


Tata Junq

Bem...


Para se dar bem...
a sabedoria sempre diz que não devemos remoer o passado.
Porém, de vez em quando, é preciso olhar pra trás, sim!
Não pra lamentar perdas ou sofrer de saudade, mas para RESGATAR LIÇÕES E APRENDIZADOS importantes para o seu futuro.
EXPERIMENTE!!


* NAMASTÊ, amigos(AS)!
Abençoado dia a tds!!!
ESPERANÇAS, sempreeeee!!!


Bjkas da,
Tata Junq

Fazer o bem alheio.

"... gostaria de partilhar consigo uma pequena oração
que me inspira muito na minha demanda de fazer o bem alheio:
Possa eu ser em todos os tempos, hoje e sempre
O protetor dos que não têm proteção
O guia dos que perderam o caminho
Um barco para os que têm de atravessar oceanos
Uma ponte para os que têm de atravessar rios
Um santuário para os que estão em perigo
Uma lâmpada para os que não têm luz
Um refúgio para os que não têm abrigo
E o servente de todos os que precisam."


Sua Santidade o Dalai Lama....................................


.*** Amigos (as)!
Cuidemos para que nosso egoísmo não nos impeça de fazer nossas ações fraternas.
Sejamos capazes da partilha do amor- paciência, do amor-doação, do amor-barco, do amor-ponte ...
Todos podemos gerar amor.
Nada de abandono!
Vamos estender nossa mão, podemos.
Resgatemos os precisados de td e qq amor, com amor!Bjusssssssssssssssssssssssss...em cd coração!
Amo, vcs!


Tata Junq

MOMENTOS REFLEXIVOS / PENSAMENTAR.

Tributo aos negros escravos


Castro Alves


A canção do africano
Lá na úmida senzala,
Sentado na estreita sala,
Junto ao braseiro, no chão,
Entoa o escravo o seu canto,
E ao cantar correm-lhe em pranto
Saudades do seu torrão ...
De um lado,
uma negra escrava
Os olhos no filho crava,
Que tem no colo a embalar...
E à meia voz lá responde
Ao canto, e o filhinho esconde,
Talvez pra não o escutar!"
Minha terra é lá bem longe,
Das bandas de onde o sol vem;
Esta terra é mais bonita,
Mas à outra eu quero bem!
"0 sol faz lá tudo em fogo,
Faz em brasa toda a areia;
Ninguém sabe como é belo
Ver de tarde a papa-ceia!"
Aquelas terras tão grandes,
Tão compridas como o mar,
Com suas poucas palmeiras
Dão vontade de pensar ..."
Lá todos vivem felizes,
Todos dançam no terreiro;
A gente lá não se vende
Como aqui, só por dinheiro".
O escravo calou a fala,
Porque na úmida sala
O fogo estava a apagar;
E a escrava acabou seu canto,
Pra não acordar com o pranto
O seu filhinho a sonhar!
............................
O escravo então foi deitar-se,
Pois tinha de levantar-se
Bem antes do sol nascer,
E se tardasse, coitado,
de ser surrado,
Pois bastava escravo ser.
E a cativa desgraçada
Deita seu filho, calada,
E põe-se triste a beijá-lo,
Talvez temendo que o dono
Não viesse, em meio do sono,
De seus braços arrancá-lo!


Deixo aqui o poetar de uma voz, que denunciou outrora,m a Escravatura Brasileira.
Nossa genética tem o "pé na senzala."E ainda, no Brasil os negros são discriminados, muitos marginalizados.
Teremos de ter Castrosss Alvessssss para gritar enganos,abusos, vergonhas?
Em tempo,valei-me meu Preto Velho de Angola!!!
Saravá!


Tata Junq